Casa de Swing

Como Funciona uma Casa de Swing

Casa de swing. O termo está cheio mitos e estigmas que muitas vezes não condizem com a realidade. A verdade é que uma casa de swing nada mais é que uma boate onde é permitido o sexo em determinados ambientes – mas não em todo lugar. Entenda como funciona uma casa de swing.

O espaço

O ambiente é o de uma boate normal: música, bebida, pista de dança, alguns postes para pole dance. O sexo não acontece no espaço da boate em si, mas em quartos separados, salas, labirintos e darkrooms. Dependendo da boate, pode haver quartos fechados ou com parede de vidro, isso para satisfazer àqueles que curtem o exibicionismo. Há boates que têm salas escuras onde o sexo acontece de forma grupal e não dá para saber quem está transando com quem, quem está apalpando quem. Do mesmo jeito funcionam os “labirintos” e “corredores”, onde os casais fazem sexo em um lugar qualquer e dá para sentir outras pessoas apalpando quem passa por ali.

Quem entra

Os frequentadores de uma casa de swing são maiores de 21 anos. Normalmente, entram casais e mulheres solteiras, sendo que homens solteiros são permitidos em apenas algumas boates. O preço do ingresso também varia, sendo o mais barato para mulheres solteiras e o mais caro para homens solteiros (no caso de homens desacompanhados serem liberados). Em algumas casas pode até mesmo haver uma checagem para conferir se o casal é realmente um casal ou se o homem está levando uma prostituta, por exemplo. Dependendo da política da casa, este “casal” pode ser até mesmo expulso do ambiente. Outro problema que envolve a participação de prostitutas nas casas de swing é a preocupação com a disseminação de doenças sexualmente transmissíveis.

Das pessoas que entram, em geral os homens são heterossexuais e algumas mulheres são bissexuais. Embora haja homens bissexuais, o mais comum é que eles sejam heterossexuais. Já as mulheres podem entrar também como casal, caso sejam lésbicas e assumidas como casal. Novamente, isso vai depender da política de cada casa.

Outra coisa que é importante ter mente é o fato de que em uma casa de swing a mulher normalmente é a pessoa mais assediada do casal. Portanto, para encarar o swing, não só o homem e a mulher devem ter muita autoconfiança e confiança no outro, mas o cara em especial deve estar de boa com o fato da mulher ser bombardeada por cantadas.

É bom lembrar que a casa de swing também é frequentada por muitos curiosos que vão apenas para olhar. Estas pessoas podem ficar ali pela pista, ir nos corredores, mas sem tirar a roupa, nem aceitar a cantada de ninguém. Não é porque você está em uma casa de swing que é obrigado a sair transando com todo  mundo que vê pela frente.

A abordagem

Para chegar em uma mulher na qual você interessado, primeiramente certifique-se se ela está ou não acompanhada. Se ela estiver acompanhada, aproxime-se dela apenas quando o cara estiver por perto, para evitar confusão. Embora em uma casa de swing sua abordagem possa ser um pouco mais direta do que em uma boate normal (afinal, casa de swing indica sexo), é importante que você não seja insistente. Se ela disser não, parta para a próxima. Ficar insistindo com uma mulher em uma casa de swing pode ser um problemão para você e você pode acabar sendo expulso.

O que rola

Embora o nome seja “casa de swing”, você já deve ter percebido que não acontece apenas a troca de casais. Existem os ménages, o voyeurismo (você pode ir simplesmente para ver outros casais transando), você pode ir para simplesmente transar com sua namorada e mais ninguém, e pode fazê-lo em um quarto fechado ou aberto para que outros se excitem vendo vocês transarem.

Regras

A princípio, vale tudo no swing. Porém, a regra principal válida tanto para uma casa de swing, quanto em um swing fora dela, é: “não” é “não” e, em geral, esta regra é ditada pelas mulheres. Portanto, se ela não quiser chamar outra mulher ou outro cara para transar, se ela se recusar a fazer sexo sem camisinha (francamente, você próprio deve fazer questão de usar proteção), então aceite. Do contrário, parta para a próxima. Da mesma maneira, você também não precisa aceitar realizar algum fetiche que a mulher proponha.

Também não insista com casais que estão ali apenas para ver como é que funciona. A regra do “ninguém é de ninguém” não é inteiramente verdade no swing e é preciso respeitar a vontade de cada um. Embora haja espaços onde as pessoas se pegam sem saber quem está colocando a mão naquilo de outra pessoa, nos quartos e na pista de dança deve haver o respeito. A propósito, nas pistas de dança não é permitido sexo, apenas amasso.

Vida pós-casa de swing

Vale ressaltar que uma regra vale fora da casa de swing, mesmo que você nunca mais volte lá. Essa regra é a do sigilo. Pessoas que frequentam estas casas querem o mínimo de privacidade e sigilo. Portanto, se você foi e viu algum conhecido, respeite a sexualidade da pessoa e não saia por aí comentando quem você viu.

Quem deve tentar a casa de swing

Embora o swing seja uma fantasia sexual normal e bem comum entre as mulheres (mais do que elas admitem), há uma questão emocional muito forte. O sexo não é só sexo para muitos casais. As mulheres podem ter medo de perder o cara, os caras não gostam quando sua namorada tem prazer com outro. Portanto, é necessário avaliar se vocês dois têm maturidade o suficiente para encarar a troca de casais.

Ao contrário do que se pensa, o swing não é feito para casais em crise. Nesses casos, o swing pode até ajudar a acabar o relacionamento. O swing é bom para casais que estão bem e que têm liberdade para falar de seus desejos e fantasias sexuais livremente, sem julgamentos. Estes sim podem curtir os benefícios da troca de casal. Porém, mesmo com estes casais é possível que eles protagonizem cenas de ciúmes e barraco. Portanto, antes de decidir, conversem, vão a uma casa só para ver como funciona e se vocês se sentem à vontade com o ambiente. Tentem casas diferentes, procurem saber das regras delas e levem camisinhas (você e ela) – vocês podem se surpreender e acabar experimentando o swing.

RECOMENDADOS PARA VOCÊ

Você já foi a uma casa de swing? Como foi sua experiência? Se não, você tem vontade de ir? Será que a sua parceira concorda com a ideia? Comente abaixo!

1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas (58 votos, média: 3,66 de 5)
Loading...

163 comentários

  1. Sou casado e gostaria de conhecer mulheres casadas com homens liberais. Quem quiser me contactar [email protected]

  2. Moro em São Gonçalo RJ,tenho 37 anos 1.88 altura,adoro conhecer pessoas,e sexo.zap21994748373.

  3. Olá meu nome é Luciano tenho 36 anos sou negro altura 1,75 sou solteiro gostaria de ter o prazer de ter relação sexual com mulheres solteiras ou com casais moro em salvador-ba. Contato zap- (071) 98223-1336

  4. Tenho muito desejo de praticar swing com meu noivo mas não sei qual seria a reação dele. Não sei nem como começar o assunto! É uma fantasia antiga que não consigo tirar da cabeça.

    • olá Danizinha! Tudo começa com uma boa conversa e uma reflexão antes de iniciar qualquer processo, se quiser podemos conversar a respeito para que possa clarear seus pensamentos. Faça o seguinte, escreva para meu e-mail par que possamos pensar juntos [email protected] , vou aguardar seu email, lá posso passar meu face para conversarmos in box!! Bjs.

    • Elias Félix da Costa

      Ola chama no imail [email protected]

  5. Elias Félix da Costa

    Meu nome e Elias moro em Osasco tenho 52.anos minha namorada 48 gostaria de conhecer outra mulher para sexo a tres.ela e japonesa.

  6. Meu nome e Elias moro em Osasco tenho 52.anos minha namorada 48 gostaria de conhecer outra mulher para sexo a tres.ela e japonesa.

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*