Mulher com a mão na vagina

Os Mistérios do Corpo Feminino: 12 Coisas Que Deveria Saber

Já que durante séculos este tema sempre foi tratado como tabu, ainda há muitas coisas que as pessoas desconhecem a respeito do sistema reprodutor feminino. Por isso aqui você verá algumas das dúvidas mais importantes que você ainda pode ter.

São muitas as coisas que são desconhecidas no corpo feminino, ainda mais das genitais, que foram sempre rodeadas por uma neblina mitológica ainda mais espessa por ter sido considerada um assunto cheio de tabus durante muito tempo.

É um problema quando se trata de zonas que podem proporcionar um grande prazer e as pessoas não sabem como utilizá-las da maneira correta, mas ao mesmo tempo, podem ser um importante foco de doenças.

De fato é difícil que alguém ao comprar algo pare e leia todo o manual de instruções, seja do celular, batedeira, televisão, o que for, mas não é nada mau saber algumas curiosidades que chamam a atenção a respeito das vaginas, que são muito mais do que um “canal membranoso e dilatável, que vai desde a abertura da vulva até o colo do útero nos mamíferos fêmeos” de acordo com o dicionário Michaelis.

1. Tem mais nervos que o pênis

Se você é um homem, a próxima vez que se sentir satisfeito ao massagear o seu pênis, pense que ele tem cerca de 4.000 terminações nervosas, enquanto que só o clitóris de uma mulher chega a ter cerca de 8.000 terminações nervosas, e quando ele é estimulado, afeta outras 15.000 da zona pélvica.

No entanto, o resto da vagina não se beneficia da profusão nervosa do clitóris, e a maior concentração se encontra na terceira parte da entrada.

2. Cuidado o tubarão vai te pegar…

O esqualeno é um composto orgânico encontrado no óleo de fígado de tubarão, mas também pode ser encontrado no gérmen de trigo, azeitonas ou… nas vaginas, e serve como lubrificante natural.

No caso dos tubarões, a sua função é muito diferente, faz com que eles consigam flutuar no mar, devido a sua densidade ser menor que a água.

Outro componente do fluxo vaginal é a água, além da albumina, ácido acético, as células brancas do sangue e lactobacilos.

3. A palavra vagina 

Essa palavra foi utilizada com o sentido que conhecemos hoje em dia pela primeira vez em 1641 pelo anatomista alemão Johann Vesling, e provem do latim “vulva”, que era a palavra utilizada para nomear uma espécie de capa para a espada. De acordo com San Isidoro de Sevilla, “chama-se ‘vagina’ a parte do portador da espada que cobre a borda”.

4. Regenera rapidamente

Como o Wolverine, a vagina é uma das partes do corpo feminino mais flexíveis e que se recuperam mais rapidamente, isso porque ela está preparada para todos os tipos de acidentes que podem ocorrer durante o parto. A vagina recebe um grande suprimento de sangue que permite que possa se curar em apenas 48 horas, muitas vezes mais rápido do que um corte na perna, por exemplo.

5. Nem todas as mulheres têm uma

Agenesia vaginal ou síndrome de Mayer-Rokitansky-Kuster-Hauser é, tal como definido pela Clínica Mayo, uma condição que se desenvolve antes do nascimento e faz com que a vagina e o útero não se desenvolvam totalmente. As mulheres que sofrem desta síndrome podem ter um aparelho reprodutor reduzido ou simplesmente não ter. Hoje em dia o tratamento pode permitir que essas mulheres tenham uma vida sexual normal, embora não possam engravidar. Isso ocorre em 1 de cada 5.000 mulheres.

6. Não, não se urina por lá 

Isso mesmo, a mulher não urina pela vagina, e sim pela uretra, igual ao homem, e esta se encontra debaixo do clitóris e por cima da abertura vaginal.

7. Não é uma porta de entrada para o resto do corpo

As pessoas tendem a pensar que todas as aberturas do corpo humano levam a algum lugar muito profundo do organismo. Isto não acontece com a vagina, que leva apenas ao útero.

8. Um músculo flexível

A vagina tem em média uma longitude de 8 a 11 centímetros, 7 na sua parte anterior e 9 na posterior. Todavia, trata-se de uma das partes do corpo mais flexíveis para ajudar na hora tanto da penetração como na do parto, e pode dobrar de tamanho em casos excepcionais, mas normalmente expande-se por cerca de 3 ou 4 centímetros.

9. A maior vagina do mundo 

Apesar do mito que diz que fazer amor frequentemente ou com homens “bem dotados” alarga a vagina, isso não tende a acontecer. Agora, qual é a maior vagina que se tem conhecimento?

De uma escocesa chamada Anna Swan, que sofria de gigantismo e media 2,27 metros de altura e viveu entre 1846 e 1888. Dizem que ela deu à luz o maior bebê do mundo e de toda história, ele pesava 11,80 quilos e media 86 centímetros. Ao dar a luz, Swan dilatou 15 centímetros para colocar para fora o crânio do seu filho com 48 centímetros de diâmetro, e ele não sobreviveu.

10. As sempre incômodas flatulências vaginais

Durante o ato sexual é possível que a vagina expila um ar que causa um barulho similar ao do pum, e por muitos é conhecido como “peido vaginal”, porém, diferente dos gases expelidos por outros orifícios do corpo humano, este não vem acompanhado de nenhum odor desagradável, já que não vem do intestino.

11. Suas amigas bactérias

Da mesma maneira que ocorre com o intestino, na vagina concentram-se milhares de bactérias que ajudam a combater alguns hóspedes indesejados. Por isso é recomendado não lavar de forma agressiva o interior da vagina, já que provavelmente assim estará eliminando todos esses organismos que ajudam a sua saúde.

12. Atenção: os preservativos não te protegem de todas as doenças 

Embora os preservativos ainda sejam a melhor opção na hora de proteger as pessoas das doenças sexualmente transmissíveis, mesmo ao usá-los a pessoa ainda pode se infectar. Por quê? Porque durante o sexo a vulva fica exposta ao atrito com as zonas genitais do homem, que podem sofrer de doenças como herpes ou clamídia.

Você se surpreendeu com alguma dessas curiosidades sobre a vagina? Qual você nem imaginava? Comente abaixo!

1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas (3 votos, média: 4,67 de 5)
Loading...


Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*