Homem Pega 10 Anos de Prisão Após Atirar na Genitália da Amante por Acidente

David Jeffers afirmou que encontrou a espingarda em um banheiro de um pub no Reino Unido.

Ao realizar desastrosamente uma fantasia sexual um tanto quanto errada, um homem foi preso por ter causado ferimentos que mudaram a vida de sua amante para sempre.

A fantasia sexual envolvia penetrar uma espingarda carregada dentro da vagina da vítima e que erroneamente acabou sendo disparada.

David Jeffers acabou fugindo de um hotel em Manchester no Reino Unido, deixando para atrás a mulher morrendo na cama com lesões na bexiga e nos órgãos reprodutores femininos.

A vítima de 46 anos de idade, que por motivos legais não pode ser nomeada, havia contato a Jeffers sobre os seus desejos sexuais via mensagem de texto alguns dias antes do incidente, e uma das mensagens dizia: “Eu não consigo dormir, estou tão excitada”.

Jeffers afirmou que encontrou a antiga espingarda no banheiro de um pub chamado Wetherspoon, localizado na estação de trem local.

A vítima, que trabalhou como gerente em Stockport, cidade localizada na Grande Manchester, havia planejado tudo e pagado para Jeffers ficar com ela no Hotel Britannia durante a noite do dia 30 de janeiro.

Hotel Britannia, onde ocorreu o incidente.

Antes de começarem a transar, o casal consumiu bebidas alcoólicas e cocaína, e depois de um tempo acabaram inserindo a espingarda. Na hora que ela foi disparada, era ele quem estava com a mão no gatilho.

Enquanto a mulher permanecia deitada nua na cama, ele se vestiu e fugiu do hotel por uma saída dos fundos, após ter telefonado para a recepção do hotel avisando o gerente que uma mulher havia sido baleada.

Ele seguiu direto para a estação de trem de Piccadilly onde pegou o trem de volta para Leeds.

Um funcionário do hotel foi até o quarto do casal e escutou a vítima falando: “Eu estou agonizando, vou morrer”. Rapidamente ela foi levada até o hospital com múltiplos tiros de espingarda no abdômen e sérias lesões traumáticas.

A vítima passou por uma cirurgia de emergência, e no hospital informou a equipe médica sobre a sua experiência traumática e descreveu Jeffers como um “homem mau” que tentou “explodi-la de dentro para fora”.

No tribunal, Jeffers, que deveria ser julgado por tentativa de homicídio, acabou se declarando culpado por possuir uma arma de fogo com a intenção de colocar em perigo a vida depois da mesma surgir e concordar em participar do ato como parte da sua própria fantasia sexual.

Ele acabou recebendo uma custódia de 10 anos após o juiz descrever aquilo como “uma fantasia sexual com terríveis consequências”.

A arma foi descrita como uma espingarda antiga, do tamanho de uma arma de mão, que disparou 410 chumbinhos, que são geralmente usados para matar animais daninhos.

Peter Wright, do Ministério Público disse: “As mensagens de texto entre os dois confirmaram que eles mantinham um relacionamento íntimo. O réu tinha acesso a uma arma carregada que nunca havia sido utilizada.”

“A arma, conforme descrito pela vítima e pelo réu, era um tipo de arma de fogo ou uma arma capaz de descarregar tiros. Aparentemente, parecia uma pequena arma de mão ou alguma forma de mosquete.”

“De acordo com as mensagens de texto que o réu recebia do telefone de sua irmã, parecia que era estranho o fato dele possuir uma arma de fogo carregada. De acordo com as mensagens de texto relacionadas a arma de fogo utilizada naquela noite, não é possível dizer o mesmo, porém a aquisição da mesma não foi por acaso.”

“Ambos haviam consumido bebidas alcoólicas e drogas, os exames confirmaram a presença de cocaína no organismo da vítima e imagens de câmeras de segurança mostraram o casal comprando bebidas alcoólicas aquela noite.”

De acordo com Peter Wright, as lesões sofridas pela vítima são profundas e duradouras e mudarão a vida da mesma, e este foi um comportamento altamente imprudente e perigoso em que havia a intenção de colocar a vida em perigo.

O advogado de Jeffers, Oliver Saxby, disse ao tribunal que o seu cliente não tinha “nenhuma intenção de prejudicá-la”, acrescentado que o disparo não foi um ato deliberado. “Ele admite que estava na posse quando ocorreu o disparo, porém não foi intencional”.

A corte entendeu que Jeffers não tinha convicções relevantes anteriores relacionadas por ofensas dessa natureza. Em todo caso, a melhor coisa é manter as armas de fogo carregadas longe na hora de dar início aos atos sexuais!

RECOMENDADOS PARA VOCÊ

Você já teve que realizar uma fantasia sexual de uma mulher que fosse extremamente maluca como essa da espingarda? Como foi sua experiência? Comente abaixo!

1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*