Frotteurismo

Frotteurismo – O Prazer Deste Fetiche Bizarro

Frotteurismo é uma parafilia, ou seja, um padrão de comportamento sexual onde o prazer não está relacionado com o ato sexual em si, a penetração, e pode ser visto como uma perversão ou anormalidade, já que está fora do que a sociedade considera “normal”.

As pessoas que têm esse fetiche sentem-se sexualmente excitadas com o ato ou fantasia de fazer contato indesejado, seja encostando ou “esfregando”, partes do seu corpo, principalmente as genitais, nas outras pessoas em espaços públicos.

Essas outras pessoas que são “esfregadas” são vítimas, já que sofrem este contato sem haver permitido. As vítimas também podem ser pessoas menores de idade, inclusive crianças.

Raramente essas atitudes são consideradas inofensivas, pois só podem ser desde que não fira fisicamente e/ou emocionalmente outro indivíduo. Isso é muito raro, por isso as famosas “encoxadas” são algo ofensivo e muito prejudicial emocionalmente às vítimas.

Elas podem deixar marcas emocionas como traumas na vítima, gerando medo e/ou ansiedade quando elas tiverem que passar por lugares onde isso possa acontecer, inclusive gerando fobia social.

Normalmente, as pessoas com este desejo pelo frotteurismo agem em lugares com muitas pessoas, como por exemplo metrô, ônibus, elevadores, escadas rolantes, shows e outros lugares onde o contato possa parecer algo acidental.

Frotteurs, como são chamadas as pessoas com este fetiche, muitas vezes preferem esses lugares públicos também pelo fato de que acreditam que a vítima se sentirá envergonhada em sair gritando e causar alarme, ou como é dito popularmente “uma cena”, por isso preferem se manter caladas, e eles podem aproveitar da situação por um tempo maior.

Algumas teorias dizem que as pessoas que têm o frotteurismo como fetiche entendem que, ao tocar a outra pessoa, estão tendo algum tipo de relação íntima com a vítima. No entanto, essas teorias precisam ser mais estudadas.

Normalmente, o agressor, ou seja, a pessoa que faz o contato indesejado, tende a escapar após conseguir tatear a vítima, e muitos ainda usam algo para encobrir o pênis, como a camisinha, ou algo como se o embrulhasse, para não ficar aparente que houve ejaculação, como a roupa molhada na região das genitais por exemplo. Essas maneiras de “encapar” e “embrulhar” o pênis muitas vezes são usadas como evidência criminal para provar a intenção do sujeito de cometer este tipo de ato.

Os frotteurs mais ousados chegam a se masturbar diretamente na sua vítima, e claro, em lugares públicos.

A maneira mais comum de praticar o frotteurismo é esfregando as genitais contra as coxas ou nádegas, ou as mãos nos órgãos genitais ou seios da vítima.

Durante o ato, geralmente o frotteur tende a fantasiar que tem um relacionamento exclusivo e carinhoso com a sua vítima durante o momento do contato. Porém, ao terminar ele tende a ir embora, fugir para que não haja nenhum tipo de processo criminal.

Popularmente esse tipo de ato em locais públicos são chamados de “encoxada”, ou por exemplo, e acontece diariamente principalmente nos metrôs e ônibus.

Quem são os típicos frotteurs?

A maioria das pessoas que têm esse fetiche são homens entre 15 e 25 anos de idade, mas também é muito presente em pessoas mais velhas, tímidas, que geralmente são socialmente ou sexualmente inibidas, e na maioria dos casos, as vítimas são do sexo feminino.

É muito raro que uma pessoa com sintomas de frotteurismo procure ajuda profissional como de psicólogos e psiquiatras, mas é muito importante que essas pessoas busquem ajuda, já que isso pode terminar em um caso na justiça.

Como tratar o Frotteurismo?

O prognóstico para o tratamento do frotteurismo não é dos melhores, já que a maioria dos frotteurs não tem nenhum desejo e vontade de mudar seu comportamento.

Para que o tratamento seja bem sucedido e tenha resultado, o frotteur deve querer modificar esses padrões comportamentais. Esta etapa inicial é difícil para a maioria das pessoas com este transtorno.

A terapia comportamental é a mais usada para tratar o frotteurismo. O frotteur deve aprender a controlar o impulso de tocar vítimas sem consentimento. Às vezes, é prescrita a medroxiprogesterona, um hormônio feminino, para diminuir o desejo sexual.

Muitas vezes os sintomas podem surgir por acidente, ou seja, ao encostar em alguém sem querer, o indivíduo sente prazer sexual, e então busca repetir este tipo de comportamento. Não há como prevenir o desenvolvimento do frotteurismo.

Porém, muitos profissionais e especialistas no assunto concordam que uma das melhores maneiras de prevenir esse comportamento é através da educação, ou seja, que o indivíduo seja educado desde criança, sabendo que esse tipo de comportamento é errado e pode ter sérias consequências.

Hoje em dia, em diversas cidades pelo país já existem vagões de metrôs só para mulheres, devido ao enorme aumento de casos relacionados a este fetiche.

O ideal é a pessoa procurar tratamento, pois não é somente um fetiche bizarro. O frotteurismo pode causar grandes danos tanto para a pessoa que o pratica como para a vítima.

RECOMENDADOS PARA VOCÊ

Você conhece alguém que tenha sido vítima de algum crime relacionado ao frotteurismo? E alguma pessoa que tenha sintomas desse fetiche bizarro? Comente abaixo!

1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas (5 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

Um comentário

  1. Uma vez no ônibus um folgado tentou se aproveitar eu já ia fazer um barraco aí ele desceu.

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*