Conheça a Mulher que Transou Com Mais de 10 mil Homens

É certo dizer que qualquer um que passou um tempo de trabalho na indústria do sexo terá uma bela lista pela frente, mas uma mulher realmente conseguiu se destacar no ramo. Depois de 15 anos trabalhando como acompanhante na Austrália, Gwyneth Montenegro relata ter transado com 10.091 homens (e contando).

Agora, tendo se aposentado no segmento, ela escreveu um livro intitulado “10.000 homens e contando”, que expõe a realidade da vida de trabalho na indústria do sexo. Srta. Montenegro – como era conhecida no ramo – aposentou-se aos 33 anos depois de 15 anos atuando entre muitos altos e baixos.

Ela finalmente deixou o mercado depois de conhecer o seu parceiro de negócios atual, mas não foi a primeira vez que ela tentou abandonar a carreira. Srta. Montenegro já tentou abandonar o emprego para se tornar uma piloto, mas as circunstâncias foram infelizes – ela estava com diagnóstico de insuficiência renal e incapaz de pedir uma nova licença de piloto – isso significou que ela teve que desistir do seu sonho. Abaixo uma entrevista exclusiva com a Srta Montenegro:

Você consegue se lembrar do seu primeiro cliente – se sim, como foi?

Na época, eu estava emocionalmente abalada, por isso foi um pouco surreal a experiência. Eu me lembro de ter bebido alguns uísques antes de eu ir fazer o meu primeiro turno no trabalho; Eu precisava de coragem. Eu tinha sido uma dançarina nos três anos anteriores, portanto tirar minha roupa para estranhos já era bastante natural. Mas, quando vi meu primeiro cliente nu foi aí que a ficha caiu de que eu teria que ter relações sexuais com ele. Graças a Deus eu estava tão bêbada que eu apenas imaginei estar transando com outra pessoa para que tudo acabasse logo – e antes que eu percebesse, tinha acabado. Depois de concluir o ato ele me pagou e aí não tinha mais volta, o que está feito, está feito.

[sc:artigos_relacionados]

Qual foi o ponto alto e o ponto mais baixo durante a sua carreira?

O ponto alto da minha carreira foi quando eu estava trabalhando para uma agência de acompanhantes de elite nos meus vinte e poucos anos e ganhava muito dinheiro por hora. Ganhava entre US $ 500 – $ 1000 por hora. O ponto mais baixo da minha carreira foi quando eu viciei em cocaína e usava cinco vezes por semana, durante cerca de 6-8 meses seguidos. Quando passava o efeito da droga eu me sentia tão isolada e solitária. Eu quase não tinha amigos e não sabia como me relacionar com as pessoas. Eu me sentia muito sozinha no mundo.

Por que você decidiu parar de usar?

No fundo eu odiava meu trabalho e o isolamento que ele me trouxe. Eu estava totalmente desconectada do mundo. Eu odiava as pessoas e eu me odiava ainda mais, por isso resolvi parar de usar para ver se as coisas melhoravam.

Que conselho você daria para as mulheres que consideram tornar-se acompanhantes para pagar suas contas?

Não sou do tipo que vai dizer “não faça isso”. No final do dia, as pressões financeiras obrigaram a maioria de nós a fazer algo que não gostamos para sanar as dívidas. Mas, eu sugiro fortemente que, se há uma alternativa, escolha a alternativa. A indústria do sexo vem com uma bagagem muito pesada que pode afetá-la por toda a vida.

O que ser acompanhante te ensinou sobre sexo em termos de aconselhar outras mulheres?

Que a maioria dos homens realmente gosta de agradar a sua mulher sexualmente. Eles querem saber o que agrada a você e eles querem fazer bem feito. Não é tudo sobre eles. É sobre você. Nada agrada um homem mais do que saber que cumpriu o seu papel e a satisfez completamente.

O que ser diagnosticada com insuficiência renal te ensinou sobre a vida, e como você saiu mais forte disso?

Para ser honesta, olhando para trás, eu me senti como se eu tivesse perdido grande parte da minha vida numa atividade frívola e me fez perder o contato com a maioria das pessoas que eu amava antes. De repente, fui confrontada com a realidade de perder a minha vida. Depois de perder tanto de mim durante os últimos anos, foi devastador aceitar que minha vida poderia acabar e ninguém saberia ou se importaria com isso. Naquele momento eu entendi, ou pelo menos comecei a entender mais sobre as relações e valorizar amigos e familiares. Obviamente as circunstâncias me fizeram voltar para o trabalho que eu detestava, mas no fundo eu nunca esqueci as lições aprendidas naquele dia.
[sc:muito-bom-de-cama-depois-artigo]

Você escolheria uma mulher que já transou com mais de 10.000 caras para uma noite de sexo? Já pagou por alguma acompanhante? Comente abaixo como foi essa experiência.

1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas (5 votos, média: 4,80 de 5)
Loading...

Um comentário

  1. 10.000 minha filha como que tu ta inteira???

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *