Home » Sexo » Não Convencional » BDSM Precisa Ser Hardcore?

BDSM Precisa Ser Hardcore?

Um sexo hardcore pode ser ótimo para aqueles que gostam, porém também há um lado mais suave e gentil do BDSM.

  Continua Depois da Publicidade  

Imagine o seguinte: Uma mulher amarrada com uma corda, os braços dolorosamente contorcidos atrás das costas e as pernas abertas ao extremo. Ela está amordaçada, babando e derramando lágrimas pelo seu queixo e peito. Um homem vestido todo de preto ergue-se sobre ela com um chicote que cai pesadamente sobre sua pele nua, sem proteção, inflexível na entrega da dor para a sua vítima voluntária.

Algumas pessoas podem ler isso e sentir que é exatamente o que querem. Outras já acham isso um pouco brochante. Agora, se você acha que isso descreve a maioria do BDSM, pense novamente.

A parte hardcore do BDSM pode ser ótima para quem gosta, mas existe também um lado mais suave de praticá-lo.

O BDSM pode ser sensual

Grande parte do BDSM trata-se do controle. De ter controle ou de ser controlado. De ser o dominador ou o submisso. Quer se trate de bondage, em que alguém tem que ser amarrado e alguém tem que amarrar, ou do spanking, em que um tem que bater e o outro apanhar, há sempre uma parte que é superior e outra inferior.

  Continua Depois da Publicidade  

O BDSM pode ser qualquer uma dessas coisas só que feitas de maneira suave e gentil para aquecer e apimentar o sexo entre o casal.

Tente isto: use lenços macios ou gravatas de seda para amarrar a sua parceira na cama (bondage) e use a sua língua e toques suaves para deixá-la excitada, depois faça com que ela lhe peça permissão para chegar ao orgasmo (no BDSM isso se chama controle do orgasmo). Sem dor. Nada de utilizar força. Tudo se resume apenas a prazer.

Esse é apenas um exemplo de BDSM sensual. Use a sua imaginação, e provavelmente encontrará um milhão de outras maneiras de assumir o controle sem que a dor seja algo necessário.

Nem tudo é sempre sobre sexo

Muitas pessoas querem ser suspensas por uma corda com ganchos no teto, inclinar-se sobre um banco e tomar uma surra e serem chicoteadas até sangrar, porém, outras querem simplesmente ser controladas por outra pessoa.

Saiba que nem todos os encontros excêntricos do BDSM acabam em sexo. Em um clube de BDSM, muitas vezes você irá encontrar pessoas que querem apenas ser chicoteadas, açoitadas, que pinguem cera em seu corpo ou que a amarrem com uma corda.

Embora ambos os participantes apreciem a ação, e possam ficar sexualmente excitados com ela, eles não precisam acabar tendo relações sexuais. O sexo não é o mais importante. O mais importante é o ato de bondage, masoquismo, controle ou disciplina.

  Continua Depois da Publicidade  

Na outra extremidade, fora do aspecto sexual, há vários relacionamentos em que os parceiros assumem papéis de submissos e dominantes em diferentes formas que não têm nada a ver com o sexo, como por exemplo: cozinhando, limpando, servindo… Chame como quiser. Isso definitivamente faz parte do BDSM, mas não tem nada a ver com algo sexual.

Você não precisa gostar de sentir dor

Sadismo e masoquismo são partes distintas do BDSM, porém não são requisitos. Talvez você simplesmente queira se ajoelhar na frente do seu mestre ou abrir mão dos seus próprios orgasmos. Você pode apreciar o ato de servir, ou talvez anseie por ser amarrado por uma corda.

Como em qualquer outra parte do BDSM, você está livre para escolher as atividades que mais gosta e rejeitar aquelas que não são nada atraentes para você. Não há requisitos.

  Continua Depois da Publicidade  

Encontre o que funciona para você

Assim que você entrar no mundo das práticas BDSM e começar a experimentar coisas novas, irá descobrir que suas preferências irão mudar com o tempo. Pode ser que você comece achando que o que mais gosta e te dá prazer é estar 100% submisso à sua parceira, e que adora abrir mão do controle na hora do sexo, até que de repente você prova ser dominante e descobre que isso é o que realmente te excita. Você pode achar que a única dor que realmente te dá prazer é a do tapinha, até que experimenta uma chicotada.

Seus limites irão mudar ao longo do tempo, você irá aprender cada vez mais e irá se sentir cada vez mais confortável com as diferentes atividades e encontrará parceiras em quem realmente poderá confiar e se sentir relaxado na hora H.

Quando o assunto é BDSM, não existe apenas um lado. O interessante é ir provando e descobrindo dentre tudo o que existe neste universo.

O Consentimento é a única regra geral

Qualquer um que te diga que há apenas uma maneira de desfrutar do BDSM é um tolo. Existem várias atividades e maneiras de sentir prazer quando o assunto é BDSM. A única regra que você precisa sempre lembrar é o consentimento!

Todos os participantes devem consentir com o que e como as coisas irão acontecer. Todas as partes devem entender, saber o que esperar e consentir.

Se a ideia de deixar as coisas mais “bizarras” te excita, porém a brincadeira mais áspera, pesada e avançada do BDSM que você vê nos filmes e sites de pornografia e erotismo são demais para o seu gosto, não se preocupe. Considere todas as atividades que você gosta e experimente coisas novas que te intriguem, mas o mais importante é que haja consentimento de sua parceira ou parceiros.

Seja o quão pervertido você quiser, mesmo que isso não envolva nem um pouquinho de dor ou humilhação. O BDSM é muito mais amplo do que você pensa. Só depende de você saber onde os seus desejos se encaixam. Não, o BDSM não precisa ser hardcore para você sentir prazer.

Você já experimentou algum aspecto do BDSM? Qual? Acredita que ele precisa ser hardcore? Comente abaixo!

1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas (3 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
  Continua Depois da Publicidade  

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*