Home » Sexo » Jogos e Fantasias » 6 Bordéis que Transformaram o Sexo em um Parque de Diversões

6 Bordéis que Transformaram o Sexo em um Parque de Diversões

O surgimento e a popularização da internet não atingiu somente o lar das pessoas, mas também aquelas de “má reputação”, os bordéis, que é uma indústria bem consolidada que existe há milênios.

  Continua Depois da Publicidade  

Com a internet, as pessoas não só têm fácil acesso ao “sexo virtual” e a pornografia, como também podem entrar em contato com as profissionais do ramo com maior privacidade.

Porém, ao mesmo tempo em que muitos bordéis ao redor do mundo se recusam a mudar suas estratégias de negócios para aumentar o movimento, outros optaram por usar a criatividade em seus modelos de negócios.

Por isso, veja agora os 6 bordéis que transformaram o sexo em um parque de diversões.

1. O Bordel do Alien

44

Qualquer fã de ficção científica sabe que mesmo nessas fantasias, o padrão de beleza feminino permanece mais parecido com a realidade, e que a sexualidade está em todos os cantos explorados do universo, ou seja, em qualquer galáxia razoavelmente civilizada haverá seres 100% humanos lindos, vestidos com roupas de borracha ou com o corpo todo pintado.

  Continua Depois da Publicidade  

Isso foi o que inspirou Dennis Hof a criar em Nevada o bordel Alien Cathouse, primeiro bordel do mundo com a temática de ficção científica.

Este empresário do sexo que é proprietário de vários bordéis acabou ficando famoso principalmente por estrelar um reality show da HBO “Cathouse”.

Para criar o Alien Cathouse, que ao traduzir para o português se chama Bordel do Alien, ele comprou um bordel que estava fechado, localizado de 144 km de distância de Las Vegas, e contratou a sua ex-noiva Madame Hollywood Heidi Fleis para desenhar os figurinos com a temática Alien e decorar o local.

Este bordel está localizado próximo a área militar – Area 51 – que de acordo a vários teóricos da conspiração, é para lá que os militares levam os alienígenas capturados.

45

No bordel do Alien, também há quartos com temáticas diferentes, como “Atlantis e “Alien Abduction” (Abdução Alien). E não se preocupe, também há um quarto de “sondagem”.

2. Sexo sobre rodas

46

Você alguma vez já parou para pensar o que poderia fazer na carroceria dos caminhões ou naquelas vans e furgões? Como por exemplo, receber um sexo oral ou algo mais?

  Continua Depois da Publicidade  

Bom, fique sabendo que para a surpresa de todos, já faz um tempo que na França esse serviço já existe, e este conceito já chegou a outros países da Europa, como por exemplo, no Reino Unido, que criaram o “Passion Wagon” – Vagão Paixão.

Esse serviço com certeza transformou o sexo em um parque de diversões. E não pense que é apenas uma espécie de motel sobre rodas. Não.

Ele leva a profissional do sexo até você, e oferece um menu completo, com spanking, dominação, sexo a três, sexo em locais como estacionamentos públicos, campings, ou em qualquer outro lugar que eles possam estacionar o veículo para o cliente ter relações sexuais sobre rodas.

  Continua Depois da Publicidade  

47

Este negócio foi criado no Reino Unido por duas prostitutas inglesas na tentativa de se manterem um passo à frente da polícia, que alguns juram que irão acabar com suas viagens pela costa ocidental.

O sexo sobre rodas provou ser altamente eficaz de acordo com alguns relatórios, porém parte da população mais idosa anda indignada e está disposta a atrapalhar os negócios.

Devido à preocupação do público, uma das empreendedoras disse: “Essa é a profissão mais antiga do mundo inteiro. As pessoas devem apenas superar isso”, e acrescentou: “Se a prostituição fosse legalizada, não teríamos a necessidade de sermos freelancer”.

Já na Áustria, você pode chamar o Erotik Taxi, que irá levar até você uma limusine para, como disse o proprietário, “uma alternativa emocionante para o sexo em casa ou em um hotel”.

48

Na Alemanha, se você estiver com vontade de fazer sexo sobre rodas, isso também é possível, porém uma vez a coisa ficou realmente quente por lá, e a van usada como parque de diversões do sexo acabou pegando fogo.

3. Um bordel apenas para pessoas portadoras de deficiência

49

Beck Adam é uma cafetina britânica que ganhou certa notoriedade depois de escrever um livro chamado “Madam – Prostitutes, Punters, And Puppets” (Cafetina – Prostitutas, Parceiros e Fantoches) em que ela conta sua vida em detalhes como se você estivesse tomando um chá com ela.

50

Após desfrutar de sucessos como fornecedora de brinquedos sexuais, fundar um local para lavar carros com meninas de topless chamado Scrubbers e como a corretora de vaginas mais respeitada do Reino Unido, Adams sente grande orgulho da sua profissão.

Ela declarou publicamente que prefere que a sua filha se torne uma prostituta em vez de uma banqueira, porque “pelo menos a prostituição é uma profissão honesta.

Porém, após anos dedicados à indústria do sexo, ela decidiu inovar e chamar a atenção para uma linha mais filantrópica – o estabelecimento com serviço de acompanhantes especificamente para pessoas portadoras de deficiência.

Basicamente este novo negócio que leva o nome de “Para-Doxies” não tem fins lucrativo e é financiado com fundos privados que ajuda pessoas com deficiência ou seus cuidadores a se conectar com as profissionais do sexo.

Algumas mulheres profissionais chegam a oferecer os seus serviços gratuitamente. Porém, como no caso da maioria das coisas, principalmente negócios relacionados ao sexo, essa ideia não agradou a todos. Grupos dos diretos das mulheres não gostaram muito da ideia, e algumas pessoas portadoras de deficiência acreditam que isso faz com que eles se sintam ainda mais fora da sociedade.

Porém, há argumentos válidos tanto a favor quanto contra a ideia de levar o sexo a outro estágio para as pessoas portadoras de deficiência, mas pelo menos parece que as intenções de Adams são boas e sinceras, afinal, se você não pode confiar em uma prostituta de meia idade, em quem poderá confiar?

4. O trem japonês da perversão

51

Para começo de conversa, “Trem da Perversão” é como realmente é chamado esse parque de diversões do sexo, que vem da tradução do termo em japonês chikan densha, que é tanto o nome de um estranho filme pornô como uma descrição bastante precisa do que se passa no Clube da Menina de Rosa, em Tokyo.

Localizado em uma estação de trem real, este vagão é um modelo, que como normalmente acontece, está sempre cheio de passageiros, porém, diferente do trem/metrô do dia a dia, as estudantes e recepcionistas a bordo não se importam nem um pouco se você as tateá-las onde não “deve”.

52

Com o valor de aproximadamente US$ 100, os clientes deste clube têm acesso ao “Curso de groper” – groper é como são chamadas as pessoas que ficam apalpando as outras sem permissão – e recebem um menu que lista uma variedade de opções de roupas que gostaria que as pessoas que trabalham no local vestissem.

Após tudo ter sido resolvido, as senhoras acenam para o cliente pela janela enquanto o falso trem realmente se move e transmite anúncios.

Depois de cerca de 10 minutos que o cliente está se divertindo no trem, ele pode optar pode pagar uma taxa extra para levar uma das moças para uma área privada e poder assim fazer um “exame tátil” mais aprofundado.

53

Claro que esse serviço pode ser um tanto quanto decadente, mas se levar em consideração todos os problemas que o Japão enfrenta com o assédio dos homens nas mulheres dentro dos vagões – o que não é muito diferente no Brasil – talvez essa ideia possa deixar a vida das mulheres mais agradável, no caso de esperançosamente os viajantes passarem a se preocupar menos em apalpar as mulheres pelos trens e metrôs.

5. Bordel de bonecas sexuais

54

Tanto os clubes de stripers como os bordéis podem ser lugares bem intimidantes para pessoas que são ineptas socialmente, principalmente se para você ficar excitado precise de algo “inanimado” e/ou “não tão flexível”.

Para a sorte dessas pessoas, os japoneses criaram lugares onde você pode ir para desfrutar dos prazeres sexuais sem todas as complicações que envolve lidar com outro ser humano real, e em vez disso, realizar todos os seus desejos com um simulacro compatível, à base de polímeros.

As bonecas sexuais são assustadoramente populares no Japão. As boas são bem caras, por isso que vale a pena pagar uma espécie de “aluguel” para ter uma por um tempo.

Sendo assim, faz todo sentido que alguns estabelecimentos de prostituição tenham optado por dispensar de vez as trabalhadoras humanas, e em vez disso, encher suas salas com essas bonecas em tamanho natural para que os clientes possam arrastar até salas privadas.

55

Outro motivo pelo qual as pessoas que gostam de se esfregar com essas bonecas preferem ir a um bordel a mantê-las em casa é o grande constrangimento que sentem em ter uma boneca gigante cheia de esperma em sua sala de estar.

Os clientes são incentivados a levar a roupa que quiserem para as bonecas e a realizarem qualquer uma das suas fantasias, desde as mais obscuras. Basta colocar a boneca na posição desejada e pronto.

6. Uma Igreja/Bordel New Age

56

A prostituição e a religião sempre tiveram um relacionamento entre si bem complicado, e não apenas por todos os escândalos sexuais que líderes religiosos estão constantemente envolvidos.

Embora as crenças da Nova Era – New Age – tendem a ser um pouco mais abertas em relação à sexualidade humana do que as versões tradicionais, ainda foi bastante chocante quando uma igreja de verdade acabou se transformando em um bordel.

O “Phoenix Goddess Temple” – Templo da Deusa Fênix – localizado no Arizona, era uma congregação de homens e mulheres hippies que pregavam a liberdade sexual (de uma forma que deve ter soado bastante atraente para os católicos caducas que sentiram que não estavam recebendo contatos carnais suficientes com suas Ave-Marias).

57

Mas quando o “clero” de mulheres seminuas começou a aceitar “doações” para o que elas chamavam de “terapias de cura neotântricas” (que não era nada mais nada menos do que atos sexuais), as autoridades descobriram rapidamente que o templo era muito mais um bordel do que uma igreja.

Depois de apreender evidências que de acordo com a operação comprovavam que aquilo era apenas uma fachada para “cometer crimes sob o pretexto de liberdade religiosa”, um porta-voz da polícia declarou: “É uma situação triste quando as pessoas estão tentando se esconder atrás da religião e da Igreja para cometer crimes.”

Também é um tanto quanto deprimente que este porta-voz da polícia se deprima tão facilmente com algo que vem se arrastando por milhares de anos.

De qualquer forma, a investigação resultou em 20 mulheres sendo retiradas do templo algemadas, todas elas acusadas de prostituição e “outras infrações”.

Tracy Elise, a “Mãe Mística” do templo, não se afligiu com esta interferência opressiva e logo em seguida voltou a ministrar na comunidade das “Necessidades Penianas Tântricas do Arizona” e logo foi presa mais uma vez.

Em uma entrevista que ela concedeu de dentro da prisão, a mãe mística disse que irá continuar com suas “sessões de cura”.

Esses foram os 6 bordéis que transformaram o sexo em um parque de diversões, e como você pode ver, tem para os gostos e estilos mais variados. Sim, está cada vez mais fácil e acessível poder realizar as suas fantasias sexuais.

Se você fosse escolher um bordel para se divertir e realizar uma fantasia, como seria ele? E qual destes acima você escolheria? Comente abaixo!

1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
  Continua Depois da Publicidade  

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*