Camisinhas no bolso

10 Razões Surpreendentes das Camisinhas Falharem

Os preservativos são usados para prevenir a gravidez e prevenir doenças sexualmente transmissíveis. As camisinhas são produtos seguros e eficazes para o que prometem e são comercializadas em farmácias ou distribuídas em postos de saúde gratuitamente. Porém, será mesmo que são tão eficazes assim? O que dizer daquelas camisinhas que se rompem e podem levar a uma gravidez indesejada ou a alguma doença venérea? Saiba os principais motivos pelos quais as camisinhas falham abaixo!

1. Preservativo não usado corretamente

Isso pode acontecer quando o homem não sabe colocar a camisinha de forma correta. Deve-se ter cuidado para não rasgar o preservativo no momento de retirá-lo e abrir a embalagem. Muitas vezes no calor do momento, eles podem agir de forma abrupta para não demorar demais e perder o clima e é nessas horas que a pressa se torna a verdadeira inimiga. A camisinha pode assim ser danificada rompendo-se ou criar alguma espécie de furo que pode colocar tudo a perder durante o sexo.

Depois de retirar com cuidado da embalagem, deve-se desenrolar o preservativo no pênis ereto lentamente. Se preferir, o homem pode pedir que a mulher faça isso se ela tiver experiência, isso é até uma forma de tornar esse momento prazeroso e não uma mera obrigação. Após o uso, deve-se retirar rapidamente, mas com cuidado para que o esperma não escape da embalagem. Aí então basta fazer um nó e jogar no lixo envolto com papel higiênico.

2. Rasuras e rompimento durante o sexo

Além de poder ocorrer o rompimento já na hora da abertura da embalagem, existe um caso ainda pior, que é o rompimento durante o sexo. Neste caso é ainda mais difícil perceber o problema, principalmente se for uma pequena fissura. Muitas vezes isso passa despercebido e o casal continua o ato sexual descobrindo o problema apenas ao retirar a camisinha, no fim do ato.

Durante uma atividade sexual vigorosa isso pode ocorrer; quando a penetração é forte e intensa uma camisinha de qualidade inferior e não tão resistente pode se romper, por isso, sempre recomenda-se comprar camisinhas mais caras. Melhor gastar um pouco mais em uma camisinha do que com tratamento médico ou para criar um filho, não é mesmo?

Unhas afiadas, dentes durante o sexo oral com camisinha também podem causar rompimento, por isso, inclusive é sempre indicado trocar a camisinha a cada posição, seja oral, anal ou penetração vaginal. Se a mulher tiver piercing na vagina, isso também pode contribuir para o rompimento.

3. Selo de qualidade

Algumas camisinhas são tão fuleiras que nem possuem selo de autenticação de qualidade. Preservativos não fabricados corretamente ou que sofreram danificação após a fabricação não irão conter a designação da FDA. Só compre preservativos que são marcados como aprovados pela FDA para se sentir mais protegido.

4. Lubrificante incorreto

Apesar das camisinhas virem com uma lubrificação natural, é indicado adquirir um lubrificante extra para inserir. Evite usar lubrificantes de petróleo como a vaselina, creme, hidratante e óleo de bebê, pois costumam danificar o material da camisinha que é de látex. Use somente lubrificantes à base de água como a glicerina ou gel lubrificante, que podem ser adquiridos em qualquer farmácia.

5. Data de validade

Assim como todo produto, a camisinha também tem data de validade. Procure verificar a data de vencimento antes de adquirir no ato da compra, e sempre ao usar verifique novamente, pois pode ser que você tenha alguma camisinha velha no seu guarda-roupa. Geralmente a duração é de dois a três anos. Após o prazo, a camisinha perde a sua lubrificação e resistência e pode se romper mais facilmente ou simplesmente não proteger contra gravidez e doenças.

6. Camisinhas falsas

Parece ser o cúmulo do absurdo, mas existem fabricantes de camisinhas falsificadas. Muitos fazem isso para lucrar em cima do preço de uma camisinha normal, que costuma ser mais cara. Não é tão fácil assim de encontrar, mas evite comprar em camelôs ou em alguns países como o Paraguai, que oferecem camisinhas no meio da rua que cantam e fazem outras estripulias. Melhor confiar em uma camisinha de uma farmácia reconhecida do que um ambulante na rua, na praia ou em camelôs, certo?

7. Reuso

Reutilizar uma camisinha parece ser piada, mas alguns casais podem fazer isso, principalmente se não houve ejaculação. Mesmo se não houver ejaculação durante o ato sexual, não deve-se usar a mesma camisinha, pois além de perder a lubrificação ela não assegura e previne mais contra uma possível gravidez nem doenças, pois simplesmente perde seu efeito.

O mesmo para aqueles casais que utilizam a mesma camisinha para o anal e oral, anal e vaginal, oral e vaginal, etc. O contato de um orifício com a camisinha e depois outros orifícios com a mesma camisinha pode acarretar a transmissão de doenças. Troque sempre o preservativo a cada mudança de penetração.

8. Guardar na carteira

Alguns homens têm a mania de guardar as camisinhas na carteira ou no bolso da calça. Isso pode fazer com que o material sofra interferências externas. Manter a camisinha sufocada e apertada em um local fechado é uma péssima ideia. O ideal é deixar em uma gaveta em que elas fiquem mais arejadas. Os preservativos devem ser mantidos em locais frescos sem exposição ao sol ou muita umidade.

9. Camisinha pequena

Se um homem tiver o pênis avantajado e colocar uma camisinha menor do que o ideal para o seu tamanho, isso também pode facilitar seu rompimento. Por mais que você queira deixar com uma aparência mais bonita e destacada do seu órgão, não precisa adquirir uma camisinha tamanho P para isso, certo?

Usar camisinhas maiores do que seu pênis também é uma péssima ideia, pois elas podem se soltar facilmente e até entrar na vagina da mulher, provocando uma verdadeira tragédia. Prefira usar as camisinhas do seu tamanho, nem maiores, nem menores, ok?

10. O barato sai caro

Como já mencionado, é melhor desconfiar de camisinhas muito baratas. Para fabricar uma camisinha é preciso certos materiais que não são baratos e há um processo de montagem específico que garante a qualidade do material e a correta armazenagem. Com os impostos, a camisinha fica um valor acima do que muitas pessoas gostariam, mas se você quer ter uma vida sexual ativa e saudável, melhor investir em marcas de camisinhas conceituadas.

Se você quiser economizar, pode adquirir preservativos gratuitos em postos de saúde. As camisinhas lá distribuídas também são seguras, mas não costumam agradar ao público, pois possuem uma borracha mais dura, resistente, que pode gerar certo desconforto na hora da transa. Além disso, essas camisinhas não vêm com cheiros agradáveis nem sabores e, portanto, podem ser desagradáveis durante o sexo oral.

Vai de cada um escolher pela camisinha ideal, mas o importante é nunca deixar de usá-la durante a relação. Aquele pensamento de que as camisinhas atrapalham e tiram o prazer do ato sexual já ficou para trás; com a tecnologia, hoje em dia existem muitas camisinhas que não só não atrapalham como causam estímulos sensoriais como esfriar ou esquentar a região de fricção causando mais excitação no casal. Boa escolha e bom sexo seguro!

Você já passou por alguma situação em que a camisinha estourou, ou foi mal colocada? Como você e sua parceira reagiram a isso no momento? Comente abaixo!

1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *